segunda-feira, dezembro 10, 2007

Novas instalações da Embaixada de Portugal em Haia

Finalmente corre “nas bocas da comunidade” que a Embaixada de Portugal em Haia vai ter novas instalações. Parece-me uma boa novidade, dado que o objectivo é fundir a Secção Consular e encerrar o Consulado Geral de Portugal em Roterdão. Desde março de 2007, que era esperado alguma atitude, depois da visita do Secretário de Estado das Comunidades, António Braga, que em reunião tida comigo ( como membro do CCP) e durante um jantar com dirigentes associativos em Amsterdam, assumiu publicamente que o assunto da Secção Consular em Haia, estaria resolvido até final do ano de 2007, e que certamente em melhores condições de apoio logístico, com mais funcionários e apoio em àreas jurídicas e sociais .

Esta “promessa” está neste momento numa fase de conversações em torno de um edifício,e infelizmente as notícias não são boas. Ou seja depois de várias, missões vindas de Lisboa a Haia para tartar deste assunto estão a chegar ao término as conversações sobre um edifício que vai ser arrendado ( atenção que o actual é Património do Estado) e que á primeira vista não oferece minímamente as tais condições de espaço de apoio á comunidade. Concretamente, o local que vai ser ocupado pela Secção Consular da Embaixada em Haia, é uma cave sem condições de acesso, de pequenas dimensões e que também deixa os funcionários em situação precária de condições de trabalho. Não entendo como futuramente, vão ter acesso ao local pessoas dificientes, ou os carrinhos de bébes, dada a inexistência de um elevador de acesso a esse local. Também a da sala de espera, onde se consta ser o local de pequenas dimensões, deverá ser a rua o local mais apropriado para os utentes esperarem. Exemplo pela negativa é a escassos metros do Consulado da Russia onde são vistas diáriamente filas de dezenas de pessoas á porta, para serem atendidos. Afinal para onde vamos? De estranhar também é que todas estas negociações e prespectivas de novo edíficio foi tudo elaborado sempre fora do conhecimento do membro do CCP, até dá para perguntar ... e porque deveria dele saber destas coisas que nada têm a haver directamente com a Comunidade?!

Devo informar que a cidade de Haia, tem muitas opções em termos de edifícios, existem muitas e boas imobiliárias que certamente podem ser contactadas e terem a solução para o caso da Embaixada de Portugal em Haia. Mesmo bem perto, a escassas dezenas de metros da actual Chancelaria existiam conversações com um excelente local, não entendo porque não foi tomada esta como uma opção viável. Também na rua lateral à Chancelaria existe um outro local, com cerca de 1327 m2, onde já funcionaram serviços sociais municipais de Haia, e que pode ser alugado por partes, com condições ideais para os serviços de Embaixada e Secção Consular e porque não também o ICEP.

Mas ainda existe uma questão que me deixa preplexo nesta manobra total, afinal o que vai ser feito da actual prédio da Chancelaria da Embaixada de Portugal, vai ser vendido?
Afinal o Secretário de Estado das Comunidades, assumiu ou não melhorias para o apoio à Comunidade Portuguesa na Holanda? Mais uma vez estamos a ficar defraudados, e decerto a Comunidade vai reagir muito brevemente. Desta forma teremos uma triste prenda de Natal para a Comunidade.

Haia 10 de Dezembro de 2007

1 comentário:

ines disse...

Caro José
neste momento Portugal divide o edifício da embaixada em Haia com Israel? Ou apenas o edifío, simbolo Português na Holanda, fica paredes meias com o pouso daquela última embaixada?

cumprimentos